Política

  1. Notícias
  2. Política
  3. PF vê crime de Bolsonaro em vazamento de informações; presidente não é indiciado
Imagem: Divulgação / PR

PF vê crime de Bolsonaro em vazamento de informações; presidente não é indiciado

Polícia Federal concluiu inquérito, mesmo sem depoimento do Presidente


Por Estadão Conteúdo

A Polícia Federal (PF) decidiu concluir o inquérito sobre o vazamento de uma investigação sigilosa da corporação, a respeito de uma tentativa de ataque hacker aos sistemas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mesmo sem colher o depoimento do presidente Jair Bolsonaro (PL). Ele era o principal investigado no caso e faltou ao interrogatório na última sexta-feira (28).

A delegada federal Denisse Dias Rosas, responsável pelo inquérito, enviou nesta quarta-feira (2) o relatório final com as conclusões da PF ao Supremo Tribunal Federal (STF). No documento, ela minimiza a ausência de Bolsonaro no depoimento e diz que a falta "não trouxe prejuízo ao esclarecimento dos fatos".

A delegada reafirma ter visto crime na conduta do presidente, do deputado bolsonarista Filipe Barros (PSL-PR) e do ajudante de ordens presidencial Mauro Cid, mas não pede o indiciamento em razão do foro. A investigação sigilosa da PF foi tornada pública por Bolsonaro nas redes sociais em agosto do ano passado. O objetivo, conclui Denisse, foi alimentar o debate sobre a chamada "PEC do Voto Impresso", que acabou rejeitada na Câmara.

"Todas as pessoas ouvidas que promoveram a divulgação confirmam suas condutas e a consciência de que o fornecimento de cópia do inquérito policial em andamento ao deputado federal Filipe Barros foi feito originalmente com o fim específico de subsidiar as discussões relativas à PEC no 135/2019", diz um trecho do relatório.


Colunistas

Carregando...

Enquete

Carregando...

Saiba mais