Carregando...

Política

Imagem: Reprodução

Ricardo Salles, ministro do meio ambiente, pede demissão

A saída do ministro acontece no momento em que ele é investigado pela Polícia Federal; Joaquim Álvaro Pereira Leite é o indicado por Bolsonaro para comandar a pasta

Por Lucas Rage, Carol Torres, Marcello Oliveira e João Henrique do Vale

O Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, pediu demissão, na tarde desta quarta-feira. A exoneração foi publicada no "Diário Oficial da União" e informa que foi a pedido de Salles. No mesmo decreto, o presidente Jair Bolsonaro nomeou Joaquim Alvaro Pereira Leite como novo ministro do Meio Ambiente.

A saída de Salles acontece em meio a investigação de supostos crimes contra a administração pública - corrupção, advocacia administrativa, prevaricação e facilitação de contrabando - envolvendo agentes públicos e empresários do ramo madeireiro. 

Investigado pela PF

As investigações da Polícia Federal apontam para um 'grave esquema de facilitação ao contrabando de produtos florestais' com suposto envolvimento do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, do presidente do Ibama, Eduardo Bim, outros servidores do órgão e empresários.

Em 19 de maio, mandados de buscas e apreensão foram cumpridos contra o ministro, o presidente do Ibama, e outros suspeitos do esquema, na Operação Akuanduba. A ação foi autorizada pelo ministro Alexandre de Moraes. No despacho, o ministro registrou que as investigações da Polícia Federal apontam para um 'grave esquema de facilitação ao contrabando de produtos florestais'.

Os investigadores encaminharam ao ministro do STF representação na qual sustentaram que a empreitada criminosa sob suspeita 'não apenas realiza o patrocínio do interesse privado de madeireiros e exportadores, através da legalização e de forma retroativa de milhares de carregamentos de produtos florestais exportados em dissonância com as normas ambientais vigentes entre os anos de 2019 e 2020, mas, também, tem criado sérios obstáculos à ação fiscalizatória do Poder Público no trato das questões ambientais com inegáveis prejuízos a toda a sociedade'.

Motivos da saída

No dia da operação, Ricardo Salles não entregou o celular, o que foi requisitado pelos agentes. O aparelho só foi entregue, pelo próprio ministro, 19 dias depois, mas sem informar a senha do telefone, o que dificultou o acesso dos investigadores. Fontes afirmaram à reportagem que o aparelho foi enviado aos Estados Unidos para quebra de senha. A possível liberação do conteúdo do celular teria sido um dos motivos para o pedido de saída de Salles. Outra motivação seria a possibilidade de quebra de sigilo bancário do ex-ministro e da mãe dele. 

Pronunciamento

Logo após a divulgação da exoneração, o agora ex-ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles afirmou que pediu demissão do cargo para que, de forma "mais serena possível", o País alcance "uma união muito forte de interesses, de anseios e esforços". 


Quem é Joaquim Leite

O novo ministro do Meio Ambiente, Joaquim Álvaro Pereira Leite, já integrava os escalões do MMA. 

Leite atuava até o momento como Secretário da Amazônia e Serviços Ambientais, e já foi conselheiro da Sociedade Rural Brasileira. O agora ministro integrou o grupo por 23 anos, de janeiro de 1996 a julho de 2019. Joaquim Pereira Leite é conhecido no meio rural, e já atuou como produtor de café.

Na secretaria da Amazônia e Serviços Ambientais, Joaquim atuava no combate ao desmatamento ilegal e recuperação da vegetação nativa.

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais