Carregando...

Saúde

Imagem: Reprodução / AstraZeneca

Anvisa autoriza estudo clínico de 3ª dose de vacina da Astrazeneca

Nova versão da vacina da AstraZeneca é objeto de outro estudo aprovado pela Anvisa

Por João Henrique do Vale e Guilherme Eloy

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou, nesta segunda-feira, um estudo clínico para avaliar a segurança, a eficácia, e a imunogenicidade de uma terceira dose da vacina da AstraZeneca. Vão participar da pesquisa os participantes do estudo inicial que já haviam recebido as duas doses do imunizante, com um intervalo de quatro semanas entre as aplicações.  

O estudo será patrocinado pela Astrazeneca e vai acontecer somente no Brasil. Os testes serão na Bahia, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte e São Paulo. 

A terceira dose da vacina da AstraZeneca será aplicada entre 11 e 13 meses após a segunda dose. Trata-se de um estudo de fase III, controlado, randomizado, simples-cego, ou seja, em que só o voluntário não saberá o que tomou: se uma dose da vacina ou de placebo. 

Serão incluídos voluntários com idade entre 18 e 55 anos, que estejam altamente expostos à infecção com o novo coronavírus, como profissionais de saúde. Não serão incluídas gestantes ou pessoas com comorbidades. 

Medicamento

Outro estudo autorizado pela agência nesta segunda-feira é o de pesquisa da eficácia do medicamento proxalutamida contra o novo coronavírus. No depoimento concedido na saída do Hospital onde esteve internado, o presidente Jair Bolsonaro defendeu a avaliação do medicamento.

Já o estudo da proxalutamida será realizado, além do Brasil, na Alemanha, Argentina, África do Sul, Estados Unidos, México e Ucrânia. No Brasil serão apenas 50 voluntários, sendo 38 em São Paulo e 12 em Roraima. O estudo é patrocinado pela empresa Suzhou Kintor Pharmaceuticals, sediada na China.

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais