Carregando...

Saúde

Imagem: Rovena Rosa/Agência Brasil

Anvisa terá 30 dias para analisar pedido da Janssen para dose de reforço

A solicitação foi feita na última sexta-feira pela farmacêutica Johnson & Johnson

Por João Henrique do Vale

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) analisa o pedido da Janssen, empresa farmacêutica da Johnson & Johnson, para uso de sua vacina contra a Covid-19 como dose de reforço. Os trabalhos devem durar 30 dias. 

Segundo a Anvisa, pedido da farmacêutica prevê a indicação da vacina em duas situações: como reforço homólogo e heterólogo. O reforço homólogo (mesma vacina) seria destinado a pessoas que foram imunizadas com a dose única da Janssen. Já o reforço heterólogo (vacina diferente) proposto pela empresa seria destinado apenas para pessoas que concluíram a vacinação primária com uma vacina de tecnologia mRNA. Atualmente a única vacina com essa plataforma aprovada no Brasil é a vacina da Pfizer.  

Serão analisados os dados e estudos desenvolvidos pela empresa. As possíveis condições de uso, indicações e intervalos serão definidos pela Agência a partir das informações e evidências científicas disponíveis.  

A farmacêutica afirmou que os dados da análise final do estudo de Fase 3, demonstraram eficácia geral de 75% da vacina de dose única da Janssen em todas as faixas etárias e em todos os países incluídos no estudo. A vacinação primária em dose única oferece proteção e níveis de anticorpos e células T que duram 8 meses - período avaliado até o momento.

A empresa firma que “para aumentar a proteção, especialmente para a Covid-19 sintomático, uma dose de reforço pode ser administrada a partir de dois meses após o esquema de vacinação primária. Uma resposta imunológica mais elevada pode ser esperada com um intervalo ainda mais longo (seis meses) entre a vacinação primária e a dose de reforço”

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais