Carregando...

Saúde

Com 714 pacientes esperando por UTIs, Minas anuncia que Onda Roxa vai até abril

Bacheretti revelou que os pacientes têm ficado internados por muito tempo nas UTIs, o que dificulta a rotatividade dos leitos

Por Fernando Motta

Pelo menos 714 pacientes esperam por vagas nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) em Minas Gerais. O dado foi divulgado em coletiva na tarde desta quarta-feira (24), pelo secretário de Saúde, Fábio Bacheretti. Devido à alta demanda hospitalar, o Estado decidiu estender a Onda Roxa até o dia 4 de abril.

Bacheretti revelou que os pacientes têm ficado internados por muito tempo nas UTIs, o que dificulta a rotatividade. Segundo ele, um leito de terapia intensiva recebe, em média, apenas dois pacientes por mês.

O secretário disse ainda que o número de mortes de hoje - 324 nas últimas 24 horas - refletem a situação hospitalar de pelo menos 20 dias atrás. Por isso, ele estima que o cenário em relação ao número de óbitos estará pior nas próximas semanas.

Kits Intubação

Outro situação delicada vivida pelo estado é a falta dos "kits intubação". De acordo com Bacheretti, o estoque acabou nesta terça-feira (23). Segundo ele, o Ministério da Saúde garantiu que irá entregar novos insumos a todos os estados em crise até sexta-feira (26).

Ainda segundo o secretário, durante encontro em Brasília nesta manhã de quarta-feira (24), o governador Romeu Zema (Novo) sugeriu ao governo federal a compra de insumos de outros países que não vivem o colapso hospitalar.

Zema comentou sobre o encontro com o presidente e os demais governadores. "Desde o início da pandemia tenho dito que brigar não resolve a situação. Hoje, nos reunimos em Brasília para discutir soluções para os problemas que afligem os brasileiros. Propus um esforço internacional imediato para comprarmos medicamentos e vacinas. Sobre as vacinas, uma alternativa importante é um esforço diplomático junto a países que contam com sobras de doses, no momento”, disse o governador.

Segunda dose para servidores

Bacheretti falou ainda sobre a investigação do Ministério Público de Minas Gerais sobre a lista de servidores vacinados no Estado.

Segundo ele, ainda não está definido se os servidores receberão a segunda dose antes do vencimento do prazo de segurança estipulado. O secretário disse que a situação está sendo discutida junto ao MPMG e órgãos de controle.

"Hoje ou nos próximos dias, iremos definir qual será a melhor decisão", disse.

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais