Saúde

  1. Notícias
  2. Saúde
  3. Governo de Minas anuncia abertura de 122 leitos para tratamento de covid em BH
Imagem: Gil Leonardi/Comunicação MG

Governo de Minas anuncia abertura de 122 leitos para tratamento de covid em BH

Estado também irá destinar R$ 47,4 milhões para hospitais para ações e serviços de saúde no combate à pandemia


Por Agência Minas

O governador Romeu Zema anunciou, nesta quinta-feira (27/1), a abertura de 20 leitos de UTI – 10 para crianças e 10 para adultos - e outros 102 de enfermaria em Belo Horizonte para o atendimento dos casos de covid-19. O Governo de Minas também irá destinar R$ 47,4 milhões para o custeio das ações e serviços de saúde em unidades hospitalares de todas as regiões do estado. Ainda serão distribuídos, na próxima semana, cerca de 1,5 milhão de testes rápidos para a detecção do coronavírus.

Zema explicou a importância dos investimentos e ações para garantir a assistência e o atendimento médico aos mineiros, mas lembrou que é fundamental a população fazer a sua parte completando o ciclo vacinal, mantendo as medidas de higiene e evitando aglomerações.

“O Estado está fazendo da parte dele, mas se as pessoas não tiverem consciência a situação não vai ser resolvida. Nós já aplicamos mais de 37 milhões de doses, mas ainda temos muitas pessoas que não tomaram ou não completaram o seu ciclo de vacina. A dose de reforço é importantíssima. Fica cada vez mais provado que pessoas que estão sendo hospitalizadas com o quadro grave são pessoas que se recusaram a tomar a vacina ou não voltaram para receber as outras doses. Precisamos de mais responsabilidade e consciência das pessoas”, afirmou o governador.

Trabalho

Os 102 novos leitos de enfermaria adulta serão abertos nos hospitais da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) em Belo Horizonte. Dez leitos de UTI pediátrica foram abertos no hospital João Paulo II, dedicado às crianças. Outros dez leitos de terapia intensiva adulta serão instalados em demais unidades da capital mineira. A abertura dos leitos em Belo Horizonte se deu pelo aumento do número de casos de covid-19, principalmente pela variante ômicron, que pressionou o sistema de saúde do município.

“Mesmo com a queda nos últimos meses do ano passado, o Estado manteve abertos mais de 2.100 leitos de UTI. Neste momento, com a demanda causada pela variante ômicron, o Governo de Minas está abrindo mais leitos em Belo Horizonte, onde a ocupação está mais alta. Além disso, vamos publicar uma resolução de transferência de mais de R$ 47 milhões para os municípios. Este recurso poderá servir para a compra de medicamentos, insumos, melhoria do atendimento nas UPAs, nos hospitais, em leitos. O município poderá utilizar este recurso no enfrentamento à covid”, afirmou o secretário de Estado de Saúde, o médico Fábio Baccheretti, durante coletiva à imprensa nesta quinta-feira, ao lado do governador Romeu Zema.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) também irá enviar, na próxima semana, cerca de 1,5 milhão de testes rápidos para detecção da covid-19 aos municípios mineiros. Somente em janeiro, outros 1,5 milhão já foram repassados às cidades mineiras.

2,5 milhões ainda não completaram o esquema vacinal

O secretário Baccheretti também informou que mais de 2,5 milhões de mineiras e mineiros ainda não completaram o esquema vacinal contra a covid-19 no estado e precisam colocar o cartão de vacinação em dia. Conforme Baccheretti, a imunização com duas doses ou dose única, além da dose extra, confere maior proteção contra doença, diminuindo drasticamente as chances de morte e internação.

“A vacina é a principal arma de combate ao coronavírus. Por isso é tão importante que as pessoas procurem um posto para se imunizar. A vacina é segura, eficaz, e hoje temos visto que as internações, principalmente, são de quem não cumpriu todo o ciclo ou está sem nenhuma dose. Óbitos seguem a mesma lógica”, ressaltou o secretário.

O governador Romeu Zema enfatizou que o Estado está fazendo a sua parte."Estamos chegando a quase 40 milhões de doses enviadas aos municípios mineiros. Mas é preciso que todos tenham consciência e tomem a vacina. Não acreditem em fake news. As vacinas são seguras e altamente testadas e desenvolvidas por cientistas. O maior trunfo contra a pandemia é a vacinação", afirmou.

Colunistas

Carregando...

Enquete

Carregando...

Saiba mais