Carregando...

Saúde

Professores da UFMG e Comissão Municipal de Saúde pedem mais rigor no lockdown

Profissionais da saúde de BH alegam que hospitais ainda estão lotados e vivendo um caos com médicos e enfermeiros esgotados; professores sugerem lockdown como na Europa e auxílio para desempregados

Por Marcello Oliveira

Professores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) assinaram um manifesto ao prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PHS) pedindo que ele decrete um lockdown mais rigoroso na cidade, similar ao adotado em cidades europeias. Pedido parecido foi feito pela Comissão Municipal de Saúde de Belo Horizonte (CMSBH), que alega que as unidades de saúde da capital ainda passam por um caos.

No caso da carta dos professores, elaborada pelo Sindicato dos Professores de Universidades Federais de Belo Horizonte, Montes Claros e Ouro Branco, ela pede que o prefeito considere reforçar as restrições e manter apenas os serviços essenciais à saúde e à vida, limitando a circulação de pessoas com toque de recolher mais rigoroso. A carta também um auxílio emergencial que possa suprir as necessidades para toda a população que está precisando, como desempregados e pequenos empresários.

Já a Comissão Médica lembrou no manifesto que nesta quarta-feira (14), 100 pessoas aguardam na fila do CTI para Covid-19 em Belo Horizonte, segundo apuração do próprio CMSBH. Dessas, pelo menos 42 estão nas UPAs da cidade. Apesar da queda no Índice de Transmissão (RT), na ocupação dos leitos de enfermaria e UTI, os profissionais da saúde dizem que esses números não revelam na prática o que está acontecendo nas unidades de saúde que estão atendendo pessoas com Covid-19 e outras doenças que chegam a todo momento. Segundo os médicos, a taxa de ocupação dos leitos de UTI acima de 85% sinaliza que os hospitais trabalham com capacidade plena, considerando que os leitos vagos precisam ser higienizados e preparados para receber o próximo paciente. “As equipes de saúde trabalham no limite de suas forças físicas e emocionais”, diz um trecho da carta. O conselho municipal de saúde reforça que não indica a reabertura de Belo Horizonte neste momento.

O Comitê da prefeitura de enfrentamento à pandemia se reúne nesta tarde para tratar dos próximos passos sobre o fechamento da cidade. Já é certo que a Grande BH deixa a Onda Roxa e volta à vermelha já no próximo fim de semana seguindo o cronograma do programa estadual Minas Consciente.

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais