Saúde

  1. Notícias
  2. Saúde
  3. Varíola dos Macacos: Belo Horizonte tem 1ª morte pela doença confirmada no Brasil
Imagem: Marcos Lopes / MS

Varíola dos Macacos: Belo Horizonte tem 1ª morte pela doença confirmada no Brasil

Ministério da Saúde instaurou Centro de Operação em Emergências para monitorar a monkeypox, nesta sexta-feira


Por Lucas Rage

A Varíola dos Macacos, ou Monkeypox, fez a sua primeira morte no Brasil. Óbito foi confirmado hoje pelo Ministério da Saúde, e foi registrado nesta quinta-feira (28) em Belo Horizonte.

O paciente, segundo a pasta, era um homem com baixa imunidade.“Trata-se de um paciente do sexo masculino, de 41 anos, com imunidade baixa e comorbidades, incluindo câncer (linfoma), que o levaram ao agravamento do quadro. Ficou hospitalizado em hospital público em Belo Horizonte, sendo depois direcionado ao CTI. A causa de óbito foi choque séptico, agravada pelo Monkeypox”,  informou o Ministério da Saúde. 

De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde(SES/MG), Minas já confirmou casos de Monkeypox. Os exames laboratoriais foram analisados pela Fundação Ezequiel Dias (Funed). Outros 82 casos foram descartados, 130 casos estão em investigação e 02 casos foram classificados como provável.

Os pacientes são do sexo masculino, com idades entre 22 e 48 anos, em boas condições clínicas. Em todas as situações, os contactantes estão sendo monitorados. Somente o município de Belo Horizonte apresenta transmissão comunitária.

Minas Gerais é o terceiro estado em casos da Monkeypox. São Paulo ocupa a primeira colocação com 744 confirmações, seguido pelo Rio de Janeiro, que tem 117 casos.

Saúde instala força-tarefa

A situação da Varíola dos Macacos vai ser acompanhada por um Centro de Operação em Emergências (COE), inaugurado nesta sexta-feira pela Saúde. Foram convidados a participar do colegiado, membros do Conass, Conasems, Opas, Anvisa e representantes de outras secretarias do Ministério da Saúde.

Entre as armas para o combate à doença está a vacinação. A previsão é de que 50 mil doses de imunizantes sejam destinadas ao Brasil. "O esquema de imunização deve ser de duas doses com intervalo de 30 dias entre elas. Já estamos em tratativas com as fabricantes para adquirir os imunizantes. O COE vai acompanhar todo o processo pandêmico em relação à monkeypox", destacou o secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros.

A Monkeypox

Causada por um vírus, os sinais e sintomas da Varíola dos Macacos podem durar entre duas e quatro semanas. A transmissão ocorre principalmente pelo contato pessoal e direto com secreções respiratórias, lesões de pele de pessoas contaminadas ou objetos infectados.

A transmissão por meio de gotículas requer contato mais próximo entre o paciente infectado e outras pessoas, por isso, trabalhadores da saúde, membros da família, parceiros e parceiras têm maior risco de contaminação.

Colunistas

Carregando...

Enquete

Carregando...

Saiba mais