98 Live - Logo
  1. News
  2. Saúde
  3. Kalil anuncia abertura de bares e restaurantes para almoço, sem bebida alcoólica

Kalil anuncia abertura de bares e restaurantes para almoço, sem bebida alcoólica

Estabelecimentos poderão funcionar no horário de 11h às 15h, com consumo no local, mas sem venda de bebidas alcoólicas

Por Fernando Motta e João Henrique do Vale - Saúde20/08/2020
  • whatsapp
  • facebook
  • twitter

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, anunciou a abertura de restaurantes, bares e lanchonetes em Belo Horizonte a partir de segunda-feira (24). Os estabelecimentos poderão funcionar no horário de 11h às 15h, com consumo no local, mas sem venda de bebidas alcoólicas.

A mesma regra vale para cafés, padarias e outros estabelecimentos que servem refeições neste período.

Saiba quais os protocolos devem ser seguidos para abrir bares e restaurantes

Nos shoppings, a regra é diferente, com uma hora a menos de duração. As praças de alimentação poderão ter consumo de refeições de meio-dia às 15h.

Segundo Kalil, a decisão de reabrir esses estabelecimentos foi tomada para atender comerciários que vão pra rua trabalhar. "Não queremos ninguém comendo no fundo das lojas, nem no meio-fio", disse o prefeito.

"Se estamos fazendo isso, é porque ninguém morreu nessa cidade por falta de atendimento", concluiu Kalil.

Restaurantes populares

Os restaurantes populares continuarão funcionando apenas para retirada dos marmitex. A alegação da PBH é que as unidades recebem muitas pessoas, o que não seria uma situação segura. Desde março, já foram servidas 686 mil refeições nas unidades.

Praças abertas

Kalil anunciou ainda que a partir desta quinta-feira (20) já estarão abertas as praças públicas, incluindo a orla da Lagoa da Pampulha. "Já mandei retirar as grades", disse o prefeito.

A regra é diferente para os parques, que terão abertura gradual a partir do dia 29. "Por motivos de organização, estarão abrindo gradativamente, porque precisam de protocolo, higienização, porteiro", avaliou.

'A guerra está no início'

Kalil reforçou que a situação ainda é grave e que a fiscalização irá continuar. "A guerra está no início. Nem no meio dela nós chegamos", disse.

O prefeito ressaltou que os lojistas devem ter responsabilidade ao cuidar de seu comércio. "Está na hora dos lojistas, comerciantes, tomarem conta do seu negócio. Nós não temos a menor dúvida de que se os números piorarem, nós iremos fechar a cidade", disse.