Polícia

  1. Notícias
  2. Polícia
  3. Aluno de colégio particular de BH leva granada para sala de aula e Bope é acionado
Imagem: Reprodução/Redes Sociais

Aluno de colégio particular de BH leva granada para sala de aula e Bope é acionado

Adolescente de 13 anos estuda no Colégio Santa Dorotéia, na Região Centro-Sul da capital, onde o esquadrão antibombas precisou intervir


Por Déborah Lima

O esquadrão antibombas da Polícia Militar foi acionado para investigar uma granada levada à sala de aula por um aluno do Colégio Santa Doroteia, localizado na Região Centro-Sul de Belo Horizonte.

O caso aconteceu na manhã dessa terça-feira (22). De acordo com o boletim de ocorrência, o adolescente de 13 anos levou o artefato explosivo e exibiu aos colegas.

Segundo a PM, a coordenação do colégio ficou sabendo, separou a granada e chamou a polícia. No b.o. ainda consta que a direção do colégio fez contato com o pai, que afirmou que não podia buscar o filho e autorizou que ele fosse liberado sem responsável.

O menino inicialmente foi suspenso da escola por três dias, mas depois o colégio decidiu expulsar o aluno.

O esquadrão antibombas do Batalhão de Operações Especiais (Bope) compareceu ao local, vistoriou e recolheu o artefato. A reportagem entrou em contato com o Bope, que informou que o material ainda está em análise.

Já em nota, o colégio afirma que “na vistoria presencial da autoridade policial, foi esclarecido que o artefato bélico estava inoperante”. Confira na íntegra o posicionamento:

“No dia 22/03/2022, foi noticiado à coordenação geral que um de nossos alunos estava de posse de um artefato bélico.

Diante desta notícia, a Coordenação Geral prontamente requisitou a presença do aluno, promovendo os esclarecimentos dos fatos para possibilitar o seguimento às medidas cabíveis.

Em ato contínuo, os responsáveis legais do aluno foram prontamente comunicados, e, diante da relevância dos fatos e da presença do artefato bélico, foi acionada a Polícia Militar do Estado de Minas Gerais, para que tomasse conhecimento e conduzisse dentro daquilo que era necessário.

Ressalte-se que, na vistoria presencial da autoridade policial, foi esclarecido que o artefato bélico estava inoperante, sendo lavrado o Boletim de Ocorrência e promovido o recolhimento pelos Policiais Militares.

Entendemos que este lamentoso evento seguiu em vértice oposto aos mais caros princípios educativos e práticas pedagógicas adotadas nesta instituição de ensino, bem como, ao incansável compromisso que assumimos dia a dia, para com a guarda e preservação da integridade de nossos alunos, colaboradores e famílias.

Reafirmamos o compromisso pela manutenção de nossos princípios e garantias fundamentais, pois esses sustentam nossa continuidade há mais de 50 anos neste município.

O Colégio Santa Dorotéia reafirma e confia que segurança é um compromisso de todos.”

A Polícia Civil de Minas Gerais informou que os fatos serão investigados pela Delegacia Especializada de Apuração do Ato Infracional.

Colunistas

Carregando...

Enquete

Carregando...

Saiba mais