Carregando...

Política

Imagem: Raphael Martinelle/Rede 98

Deputado sugeriu que, a cada R$ 1 mi em emendas, hospital comprasse uma van-consultório, diz ofício

Veículos foram comprados e repassados a uma associação ligada a Léo Motta (PSL-MG); vans ficaram abandonadas em lote do parlamentar

Notícias

Lucas Ragazzi

Jornalista dos programas Central 98 e 98 Talks, especialista em política


A diretoria do Hospital São João de Deus afirmou, em ofício à Câmara Municipal de Divinópolis, que o deputado federal Léo Motta (PSL-MG) teria sugerido que a cada R$ 1 milhão em emendas parlamentares enviadas ao centro de Saúde, um veículo do tipo "van-consultório" deveria ser comprado e equipado. Como a Rede 98 publicou, três vans foram adquiridas desta forma em parceria com a Associação dos Diabéticos de Contagem, que é ligada ao deputado. Os veículos, depois, ficaram abandonados em um lote que é de propriedade de Léo Motta, no bairro Eldorado, em Contagem.

"Durante a fase de idealização do projeto, o Deputado Léo Motta informou que teria disponibilidade orçamentária para indicar mais de 05 milhões de reais ao CSSJD, sugerindo, por sua vez, que a cada 01 milhão de reais indicado, um veículo tipo van deveria ser adquirido e equipado como consultório móvel odontológico", mostra trecho do ofício enviado pelo Hospital São João de Deus. 

Em entrevista à Rede 98, na semana passada, o deputado Léo Motta afirmou ter sugerido o nome da Associação dos Diabéticos de Contagem para que a parceria com o Hospital São João de Deus fosse feita. O parlamentar costuma enviar emendas parlamentares ao grupo de saúde - desde 2019, o deputado já enviou cerca de R$ 5 milhões ao hospital de Divinópolis. Apesar disso, as vans, segundo o político e o grupo de saúde, foram adquiridas com recursos próprios da instituição. 

No contrato de parceria de compra entre o hospital e a Associação dos Diabéticos de Contagem, é determinado que os atendimentos feitos pelas vans-consultório sejam realizados na região Oeste de Minas. No entanto, os três veículos estavam, pelo menos desde o início de abril, abandonados em um terreno de propriedade de Leo Motta. 

Em outro trecho do contrato, é indicado que, após o fim da parceria, estipulada para durar por 1 ano, ou após a realização de 3.600 atendimentos realizados, as três vans-consultório seriam transferidas para o nome da Associação dos Diabéticos de Contagem. 

Até 2016, como indica um processo trabalhista o qual a reportagem teve acesso, o deputado Léo Motta atuou como intermediário da associação, sendo citado, inclusive, como contratante de funcionários para a entidade. O parlamentar também já constou como tesoureiro da instituição.

Segundo o ofício, a compra das três vans custou R$ 633 mil dos cofres do hospital filantrópico. O São João de Deus é o único Complexo de Saúde que recebe atendimentos do SUS na região Centro-Oeste de Minas. 

"Ademais, a Fundação Geraldo Correa (administradora do hospital São João de Deus), ou mesmo a sua diretoria, jamais formalizaria uma parceria com viés político, até mesmo porque é uma instituição filantrópica, assistencial e, sobretudo, apartidária e, sobretudo, apolítica", diz trecho do ofício.

A reportagem entrou em contato com a assessoria do deputado Léo Motta e, assim que receber um posicionamento, irá publicar.

* Esta coluna tem caráter opinativo e não reflete o posicionamento do grupo.
Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais